segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Abraça-me muito forte1



Notas:
Fanfic original; Não há lobos e vampiros.
Romance de regência.
Não recomendado para menores
Farei de uma a duas postagens por semana.
Essa história terá cenas de sexo. 


Abraça-me muito forte - Prólogo


Juntando todas as forças que conseguia reunir, libertando-se até mesmo de seu amor próprio, altivez e orgulho que sempre se impunha, Cat caminhou resoluta até o escritório do duque.  Estava decidida a lutar pelo seu marido e salvar o casamento. Cometera muitos erros, mas não era culpada do que lhe acusava. Ela sabia que Willian tinha o orgulho ferido e por mais que a amasse, manteria a sua posição de indiferença. Já não podia mais suportar aquela situação. O desprezo dele estava lhe matando dia após dia.


Ao relembrar os fatos ocorridos até aquele derradeiro momento, percebia toda a ironia da situação em questão. Will sempre sem mostrou um marido terno. Ela, no entanto, sempre se foi rebelde, distante e com sua atitude infantil. Nunca quis aquele casamento e foi obrigada pelo pai a cumprir o compromisso selado por sua mãe, quando ainda era um bebê.  O homem que amava foi escorraçado como um animal de sua propriedade e aquilo a revoltou. Mas nunca poderia pensar que algum dia se apaixonaria pelo marido. Ironicamente isso aconteceu e agora ele a rechaçava. Aquilo a feria muito e inflamava os seus nervos. Queria lhe dizer como era orgulhoso e que estava errado sobre os acontecimentos. Ele, porém não cria em sua palavra. Ela não valia nada naquele momento. Era tratada como uma adultera e não tinha a culpa do ocorrido.

Seu mordomo fez questão de anunciar-lhe a presença, como se toda a formalidade fosse realmente necessária. Ainda teve que esperar que ele despachasse com seu administrador antes de recebê-la. O orgulho ardia em sua alma. Queria gritar que era um tolo e estava errado, mas era uma duquesa e não podia comportar-se mais como uma jovem voluntariosa e rebelde. Empertigou-se, erguendo a cabeça e mantendo a postura resoluta enquanto esperava.

Esperou que o administrador saísse e que o mordomo a conduzisse até o gabinete. Caminhou sinuosamente pela enorme sala e pôs se a falar, sem mesmo dar chance de ele lhe repelir novamente. – Will, precisamos conversar. – Pôs-se a falar.

- A que devo a honra de sua presença, Vossa Graça?- Ele inqueriu, sem ao menos se dar ao trabalho de olhá-la. Aquilo lhe doía muito. Ele sempre a ignorava quando estavam juntos. Nunca a olhava nos olhos. Ela sabia que ele nutria afeição por ela, mas desde que a encontrou com Wendell sua postura mudou. Ele fazia questão de demonstrar o quanto a repudiava, pelo que acreditava ser uma traição.

- Não precisamos nos tratar com tanta formalidade, Will. – Respondeu Cat, observando o homem que amava analisando os papéis sobre a mesa, sem desviar o olhar em sua direção um só segundo.

- Como quer ser tratada, esposa?­ – Perguntou ele de forma sardônica. Já havia usado aquele tom diversas vezes e aquilo a irritava profundamente. – Como uma adultera deve ser tratada? – Inquiriu ele.

- Não tive culpa, Will. – Fechou os olhos por um momento, para evitar que as lágrimas se formassem, depois os abriu. Podia estar à beira do desespero, mas não daria a ele o gosto de vê-la chorando. – Já lhe disse o que aconteceu. Wendell me procurou... – Pestanejou a relatar novamente o ocorrido. – Quis que fosse com ele, mas não podia... Eu o amo e não podia fugir com Wendell. O que existia entre nós ficou no passado. Não podes crer que seria tão dissimulada para fingir meus beijos, meus abraços... – Ela se aproximou lentamente, enquanto falava. Deu a volta na escrivaninha e se pôs a sua frente. – Crês-me, por favor! O que preciso fazer para acreditar no que digo?

- Você mente, esposa... É uma dissimulada! Ele dignou-se a encará-la a primeira vez. Seus olhos se encontraram e ela viu novamente a dor da traição. Cat quis apagar toda a dor. Daria tudo para voltar no tempo e impedir o que aconteceu. Will não merecia ser traído e ela não teve culpa no que aconteceu. Teve vontade de chorar, mas o seu orgulho era mais forte. – A única razão para estar aqui, como minha esposa, como duquesa de Melborny, é o filho que carrega. Se duvidasse por um segundo que não é meu, você já estaria longe da minha vida. Por ora não temos nada a falar. Volte aos seus aposentos e me deixe despachar. – Ordenou ele em tom frio.

- Não! – Ela rebateu com a postura firme. Pôs a mão em seu peito e os dois ficaram ali, por alguns segundos, encarando aquela situação tão constrangedora. – Não desistirei de ti, Will. Quando nos casamos eu não o amava. Odiava o que você significava. A minha liberdade perdida, o amor de Wendell e a vida que tinha. Você me tirou do lugar que amava e me arrastou para sua vida sem que eu concordasse. Mas aprendi a te amar. Sinto falta dos seus beijos dos abraços.

- Chega!  - O duque se levantou aborrecido. – Peço que volte aos seus aposentos e fique lá. Não temos mais nada a discutir.

Cat ergueu a cabeça, deu meia volta e saiu dali arredia, rebelde e com a mesma postura selvagem que possuíam há alguns meses. Não se conformava com a rejeição do marido e não deixaria que a situação ficasse daquela forma. Usaria as armas que tinha. Nem que para isso fosse preciso agir como uma cortesã. Estava disposta a seduzi ali mesmo. Ao chegar à porta do gabinete, trancou-a com a chave, voltou-se novamente para o marido, que continuava com a mesma postura indiferente analisando os documentos. Caminhou, novamente, com passos firmes e decidido até Wil e o abraçou forte. Não sairia dali antes de seduzir o marido.

- Já lhe disse para partir! – Ele tentou apartá-la de si.

- Abraça-me muito forte, meu amor. Não deixarei que mais nada interfira entre nós dois.  Faça-me sua, aqui, agora, como dantes...

- E por que eu faria isso? Já tenho a única coisa que precisava de ti. – Will respondeu orgulhoso - Carregas um filho meu.

Mesmo com o orgulho ferido, Cat continuou decidida a não sair daí antes de uma resolução favorável para ambos. – Porque você me ama tanto quanto eu. Tudo o que aconteceu foi um terrível equívoco. E não sairei daqui antes que me faça sua novamente. – Dizendo isso o beijou de forma voraz, devorando-lhe os lábios, serpenteando a língua de forma ansiosa. Nada no mundo a faria desistir de Will. Era culpada de todos os problemas e estava disposta a consertar todos os erros.


 Amorecos, Não estou em um momento bom e fiquei bloqueada por algum tempo. Ainda não me sinto confortável para escrever. Mas isso é o que me faz feliz e ma ajuda a suportar o estresse do dia a dia. Então começarei mais uma história.
Não é uma JakexNess, mas quem quiser ler uma boa trama, segue mais uma novelinha.
Ela ainda não foi betada e por isso pode conter erros.

Talvez poste no Nyah!!

Amo ocês!!

Desculpe a ausência!

Bjs no core

4 comentários:

Daniela ♥ disse...

Glucia quando abri o meu e-mail e vi lá a notificação do facebook onde divulgou que tinha postado o prologo da sua nova história, fiquei super feliz e tive logo que vir a correr ler xD

Não é Jake e Ness, mas tenho a certeza que vai ser linda como sempre, eu já tinha tantas saudades de uma nova história sua =), claro que da sua escrita ainda hoje de manha no comboio estive a ler o seu livro, mas uma nova história, com novos acontecimentos e novas loucuras (no bom sentido) que só voçe sabe escrever é que eu estava com saudades :D

E esta história parece que irá ser perfeita xD
Só com o prólogo me deu água na boca e de querer mais e mais!!!!

Mas Glau o primeiro capitulo é a partir do acontecimento do prololo ou é antes de a Cat se casar com o will???
Poderia divulgar uma pequena sinopse? Assim entro mais na história xD

Estou ansiosa pelo primeiro capiulo, como sempre...voçe deixa-me sempre ansiosa xD

Mas está bloqueada????
OMG Glau tente ouvir música, sair e descontrair, logo logo volta ao normal =D

Beijinhos grandes!!!

Unknown disse...

Oi!!
Não precisa ser somente Jake e Nessie, pois as sua historias são maravilohosas eu leio todas..rsrs. Adorei o prologo q concerteza estarei acompanhando suas fics. Espero que venha o proximo capitulo ja estou super ansiosa para estar lendo...
Bjus no core..kk
Jana Godoy

Deia disse...

Não acreditei quando vi que tinha atualização de uma fic sua, e fic essa qu epor sinal parece ser maravilhosa, alias como tudo que você escreve.
Confesso que fiquei um pouco confusa com a historia, nas adorei, e essa é mais uma novelinha daquelas que promete.

Glaucia to anciosa para a proxima atualização, tomara que não demore.
Bjos.

Kriss disse...

Aiaiaiai mais um estória!!
Não pude acompanha a anterior a essa, mas essa aqui me pegou de jeito!! kkk
Estou louca pra ler mais capítulos sobre ela, pelo visto será algo realmente bom. Amo essas coisas de amor e ódio, tudo isso dá um tom a mais nas coisas, querendo não os melhores amantes são aqueles que vivem nessa linha tênue!
Ansiosa esperando por mais!!
Bjinhos

Postar um comentário