quinta-feira, 2 de março de 2017



Publicação Independente
Páginas: 160

Ano: 2016



Após um trágico acidente, Carolina fica em coma e descobre que perdeu a mãe. Em seu pior estado depressivo, ela é resgatada por Kaléo, um anjo, pois em diversos momentos sente que ele a conforta lhe dando uma paz que está longe de voltar a ter. Porém, o que ela não sabe é ele a impede de dar fim a própria vida. Com o tempo, Kaléo se dá conta que seu sentimento por Carolina é muito mais do que compaixão, mas existem regras inquebráveis que podem colocar tudo a perder. Ele abriria mão da eternidade por um amor humano? E ela, seria capaz de voltar a acreditar no amor? Uma jornada emocionante onde o amor é a chave para a superação.




O enredo é narrado em terceiro e se passa no Rio de Janeiro, onde ocorre um acidente de ônibus na Avenida Brasil, quando Kaléo é convocado para auxiliar dona Jurema a fazer a sua passagem.

Kaléo é um anjo da morte e sua principal função é auxiliar aqueles que estão atravessando para o mundo dos mortos. Apesar de ser um anjo da morte, ele tem uma compaixão incomparável com os demais anjos. Enquanto os demais são impessoais, ele é cativante e gentil com aqueles que estão confusos em seus últimos momentos. Essa diferença por si só causa questionamentos dos demais anjos, que não compreendem a forma de Kaléo agir. Mas a situação se torna ainda mais alarmante quando conhece Carolina.



"- Eu não tenho sentimentos humanos.- Você é o mais humano de todos nós. Você sente pena deles. Você tenta tornar o momento calmo e tirar a dor da perda. Isso não é ter sentimento?- Eu não sei explicar porque faço isso. Só não gosto de vê-los sofrer". (p. 23)



Kaléo conhece Carolina no acidente da Avenida Brasil e seus caminhos continuam
se cruzando enquanto a jovem está no hospital.
Carolina é uma jovem de 26 anos de idade é filha de dona Jurema, a senhora que o anjo ajudou a fazer a passagem. Quando desperta no hospital, descobre que perdeu a única pessoa que amava no acidente. A protagonista tem uma vida simples, onde se dedica ao trabalho e a sua mãe, que além de ser sua única familiar com quem tem contato é também sua melhor amiga. Então quando dona Jurema faleceu, Carolina caiu em uma depressão profunda, ficando desmotivada e questionando até mesmo os motivos para permanecer viva.

O fascínio de Kaléo por Carolina o leva a observá-la e ao perceber o estado de profunda depressão da moça, começa a enviar sensações que aliviem sua dor, como uma brisa ou até mesmo um perfume.

"- Que pior situação pode haver para alguém como eu? Quero senti-la e não posso! Eu quero cheirá-la, mas não consigo. Nada é possível! Nenhum contato! Eu não posso nem mesmo tê-la no conforto dos meus braços. Isso é uma maldição!" (p.27)

Porém, ele sabe que isso não é o suficiente e decide assumir uma forma humana. Colocando em risco uma das mais graves regras angelicais, Kaléo precisa descobrir o que o torna tão diferente dos demais anjos e como poderá ter algo real com Carolina.



"E eu desistiria da eternidade para tocá-laPois sei que você me sente de alguma formaVocê é o mais próximo do paraíso que chegareiE eu não quero ir para casa agora". (p. 120)

O trabalho de revisão, diagramação e layout está impecável. O livro contêm inúmeros detalhes internos que enriquecem o texto, como numeração em forma de asas e a imagem da capa no início de cada capítulo. A capa combina perfeitamente com o enredo e chama a atenção
.





http://www.mixliterario.com/2017/02/resenha-nacional-nos-bracos-de-um-anjo.html?showComment=1488474928654#c8552191332718049276

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017


Título: Maktub

Autora: Glaucia Santos

Ano: 2017 

Páginas: 142

Editora: publicação independente



Sinopse: Você acredita em destino? Juliana achava que a vida dela estava toda planejada, mas levou um fora do noivo e agora está amargurada com a vida. O que ela não sabe é que o seu destino já estava escrito e o que o futuro lhe reserva era mais do que ela poderia imaginar. Maktub é um livro que fala de amor, fé e principalmente recomeços. Se você ainda não encontrou o seu destino, saiba que ele pode aparecer quando você menos esperar. Nem tudo que acontece de ruim é para nos destruir, mas apenas para nos permitir novos recomeços.




*** 




Esta história coloca o leitor para refletir sobre as escolhas que vem fazendo na sua vida. Quantas vezes insistimos em manter uma situação por acharmos que ela é a ideal para nós.

Juliana namorou e noivou o Pedro por 8 anos. Acreditou que era o homem que a faria feliz, mas ele não pensava da mesma forma. Quando o relacionamento foi desfeito ela ficou amargurada por ter desperdiçado tantos anos da vida dela com alguém que não valia à pena.

O que a Ju não sabia era que o romance entre ela e o Pedro estava fadado ao fracasso desde o começo, pois o homem que a sua alma escolheu para ser o seu companheiro na vida era o Gustavo.

Os dois se conheceram quando tinham 13 anos e após longos 16 anos afastados se reencontram e a chama que foi acesa naquela época finalmente pôde virar uma labareda e consumir seus corações com um amor puro, forte e único.

Gustavo é um nerd hiper tímido e a Juliana uma advogada durona, quase uma ogra. Uma combinação aparentemente impossível de dar certo, mas que foi capaz de transformar um no complemento do outro.

Os caminhos dos dois estavam totalmente interligados e eles não perceberam. Foram várias coincidências (os espiritualistas chamam de sincronicidade) que os atraíam, mas que por ainda não ser a hora certa de se reencontrarem, nenhum deles percebeu.

O destino tem seu próprio jeito de conduzir a nossa vida. Ele sabe quando estamos preparados para as mudanças necessárias para nos fazer seguir rumo a nossa felicidade.

Nada que aconteça em nossa vida é obra do acaso. Tudo tem um motivo e um significado. Mas o grande problema do ser humano é exatamente descobrir este motivo e aceitar o significado.

Podemos estar diante daquele que será o Sol da nossa existência e por teimosia ficamos agarrados aquele que é apenas a Lua durante um eclipse solar.

São poucas as pessoas que conseguem superar isso e se permitem amar verdadeiramente. Que abraçam as mudanças como algo benéfico mesmo que no primeiro momento pareçam que é uma avalanche de coisas ruins.

Para que o destino possa nos guiar temos que lhe dar esta autorização. Do contrário as mudanças serão interpretadas como um castigo.

Este casal é a representação pura de um encontro de Almas Gêmeas. Dois seres que nasceram para se tornarem um. Duas pessoas que se complementam.

A leitura flui rápida e vai deixar os cariocas encantados. As gírias estão presentes assim como os locais mais frequentados pela população.

Quem nunca pegou um trem hiper lotado não sabe como a sardinha enlatada se sente. E foi assim que este romance começou, mas apenas para encaminhar o Guga até sua outra metade.

Ele e a Ju precisaram passar por um momento dramático que fortaleceu ainda mais esta união. Uma vez o Guga foi a salvação da Ju e na outra foi a Ju a salvadora do Guga.

Maktub. Que todos nós possamos vivenciar as alegrias que estão destinadas a fazerem parte das nossas vidas.
  

Um leve bater de asas *O:-) anjinho  *O:-) anjinho  para todos!!!!

Khrys Anjos

terça-feira, 24 de janeiro de 2017






Sinopse - Após um trágico acidente, Carolina fica em coma e descobre que perdeu a mãe.Em seu pior estado depressivo, ela é resgatada por Kaléo, um anjo, pois em diversos momentos sente que ele a conforta lhe dando uma paz que está longe de voltar a ter. Porém, o que ela não sabe é ele a impede de dar fim a própria vida. Com o tempo, Kaléo se dá conta que seu sentimento por Carolina é muito mais do que compaixão, mas existem regras inquebráveis que podem colocar tudo a perder. Ele abriria mão da eternidade por um amor humano? E ela, seria capaz de voltar a acreditar no amor? Uma jornada emocionante onde o amor é a chave para a superação.


"Nos braços de um anjo" é a nova obra da autora Glaucia Santos, onde os protagonistas são Carolina e o anjo Kaléo.
Na nota da autora, Glaucia Santos explica que a inspiração para essa obra foi o filme "Cidade dos Anjos", protagonizado pelos autores Nicholas Cage e Meg Ryan. O amor entre um anjo e uma humana. Porém, as coincidências terminam aqui.
O livro é composto de prólogo, 26 capítulos e epílogo e é narrado em terceira pessoa, com as perspectivas alterando entre Kaléo e Carolina.
Kaléo é um anjo da morte e sua principal função é auxiliar aqueles que estão atravessando para o mundo dos mortos. Apesar de ser um anjo da morte, ele tem uma compaixão incomparável com os demais anjos. Enquanto os demais são impessoais, ele é cativante e gentil com aqueles que estão confusos em seus últimos momentos.
"- Eu não tenho sentimentos humanos.- Você é o mais humano de todos nós. Você sente pena deles. Você tenta tornar o momento calmo e tirar a dor da perda. Isso não é ter sentimento?- Eu não sei explicar porque faço isso. Só não gosto de vê-los sofrer". (p. 23)
O enredo se passa no Rio de Janeiro e se inicia com um acidente de ônibus na Avenida Brasil, quando Kaléo é convocado para auxiliar dona Jurema a fazer a sua passagem.
O que Kaléo não esperava é que ele encontraria também no acidente uma jovem capaz de instigá-lo. Seus caminhos continuam se cruzando enquanto a jovem, que agora Kaléo sabe que se chama Carolina, está mergulhada em sua própria dor.
Carolina é uma jovem de 26 anos de idade que perdeu a única pessoa que amava no acidente. Após acordar, ela se vê presa em uma dor indescritível e sem apoio ou vontade de seguir em frente, acaba caindo em uma terrível depressão. É uma mulher que se vê sem perspectivas pois se encontra sozinha no mundo e precisa desesperadamente de um ombro amigo.
Kaléo é compassivo, generoso e intenso. Seus sentimentos são expostos, o que começa a levantar dúvidas de outros anjos.
"Tudo pareceu fora do lugar... mas por um único momento, ele se permitiu olhar para trás antes de partirem. E, pela primeira vez em sua existência, sentiu algo, mas não compreendeu bem o que era".  (p. 19)
O único motivo que a mantêm viva são as sensações que a rondam em seus piores momentos, como uma brisa que surge no momento exato de sua aflição ou um perfume peculiar que a ronda. Mal sabe ela que encantou um anjo...
Mas como um anjo e uma humana poderiam estar juntos?
"- Que pior situação pode haver para alguém como eu? Quero senti-la e não posso! Eu quero cheirá-la, mas não consigo. Nada é possível! Nenhum contato! Eu não posso nem mesmo tê-la no conforto dos meus braços. Isso é uma maldição!" (p.27)
"Nos braços de um anjo" é uma linda história de amor, mas que discute de forma profunda a depressão e os recomeços. A autora demonstra de forma clara como é possível sentir-se perdido graças a essa terrível doença e até mesmo utiliza alguns ensinamentos do livro "O demônio do meio dia - uma anatomia da depressão" do autor Andrew Solomon para auxiliar na explicação dessa doença.
O trabalho de revisão, diagramação e layout está impecável. O livro contêm inúmeros detalhes internos que enriquecem o texto, como numeração em forma de asas e a imagem da capa no início de cada capítulo. A capa combina perfeitamente com o enredo e chama a atenção.
"E eu desistiria da eternidade para tocá-la

Pois sei que você me sente de alguma forma

Você é o mais próximo do paraíso que chegarei

E eu não quero ir para casa agora". (p. 120)


Para os interessados em adquirir o livro:

Ebook - Amazon
Para adquirir o exemplar impresso, entre em contato com a autora pelo e-mail: glauciablackfanfic@gmail.com

http://www.acordeicomvontadedeler.com/2017/01/resenha-nacional-nos-bracos-de-um-anjo.html

Título: Lenda urbana 2: Dons

Autora: Glaucia Santos

Ano: 2016

Páginas: 120

Editora: publicação independente



Sinopse: Após uma sequência de eventos onde perde os amigos, Patrícia tenta reconstruir sua vida ao lado de Léo, ainda sob o peso do luto. Contudo, o que era para ser o recomeço, vira o início do seu inferno particular. O espírito continua jogando com eles e usando que é mais precioso: sua família. Ela acha que não pode piorar, mas começa ver coisas e acredita que está enlouquecendo. Agora entra em uma corrida contra o tempo para descobrir o motivo da vingança de Victor e não sabe quando o jogo finalmente acabará.



*** 




Neste segundo livro da série a vida da Patty sofre uma mudança radical. Ela e o Leo estão morando juntos. Dividem o apartamento com a mãe, a irmã e o Victor.

Além de terem que lidar com a parte mais difícil do relacionamento, a convivência diária, precisam enfrentar outra batalha diária: a possessão do espírito do Victor, que está cada vez mais violento e sedento por sangue.

Patty descobre que possui dois tipos de mediunidade (que algumas pessoas chamam de dons e outras falam que são maldições) e que eles têm que ser devidamente desenvolvidos para que ela não acabe enlouquecendo.

São os dois tipos mais desejados pelos médiuns e os mais temidos pela maioria das pessoas. Para saberem quais são terão que ler o livro ok? E quem sabe ainda venha aflorar mais alguns...

Quando ela pensa que já ocorreram mudanças suficientes em sua vida eis que surgi uma outra que a faz ficar ainda mais sensível e com receio do que o futuro reserva para a sua família. Neste momento acaba se decepcionando com a atitude que o Leo toma ao saber da novidade e não lhe resta outra opção além de aceitar a ajuda do detetive que está obcecado por desvendar o passado do Victor e assim poder saber o que o levou a odiar tanto a Patty e sua mãe.

Mas uma dúvida surge com esta aproximação: será que ele é amigo ou inimigo? Só saberemos no terceiro livro, ou se a autora for um pouco má, talvez num quarto ou quinto volume.

A Glaucia não entrou no âmbito de nenhuma religião ao introduzir a mediunidade na história da Patty. Até por que estes “dons” não são exclusivos de uma religião. Eles acontecem em praticamente todas, apenas são tratadas de formas diferenciadas.

Eu sou espiritualista e leio sobre vários assuntos para poder entender o que acontece no plano espiritual. Posso dizer que a Glaucia descreveu de maneira corretíssima como um espírito passa de obsessor para possessor.

O Victor alimenta o ódio que sente pela Patty e pela mãe dela. Deixou de ser apenas um obsessor e passa a possuir a pequena Carla. O domínio é total. Ela deixa de ser uma criança meiga e doce e se transforma numa arma para o Victor atingir seu objetivo: destruir a vida das mulheres da família.

O Leo acaba se colocando no meio do furacão e num determinado momento se deixa levar pela raiva. Se afasta e percebe que o sentimento que preenche o seu coração o impossibilita de viver longe da Patty. Assim retorna para a guerra determinado a fazer tudo o que for possível para salvar a sua família.

Esta trama do segundo livro serve como uma degustação do que está por vir. Aguçou um pouco mais a nossa curiosidade.

Agora temos que aguardar o próximo livro para desvendarmos junto com a Patty e o Leo este mistério sobre o passado do Victor. O que será que aconteceu de tão terrível para fazê-lo odiar mãe e filha desta maneira?


P.S.: Para que possam entender um pouco sobre possessão vou colocar aqui uma explicação básica: 

Quando o espírito obsessor tem com sua vítima uma afinidade fluídica 
quase perfeita, a obsessão apresenta um aspecto muito mais grave, porque se transforma em possessão. 
As irradiações fluídicas do possesso, combinando-se muito bem com as do espírito possessor, fazem com que os perispírito dos dois se unam; em seguida, o espírito possessor paralisa a vontade do encarnado e, daí por diante, subjuga-o inteiramente, a ponto de se notarem no possesso duas personalidades: a dele e a do possessor. 
Os característicos de um possesso são os de um louco furioso: corre pelas ruas, rasga a roupa, arroja-se ao chão, atira-se contra as pessoas, etc. Outras vezes fala sozinho durante horas, faz discursos ou mantém conversas absurdas.





Um leve bater de asas *O:-) anjinho  *O:-) anjinho  para todos!!!!

Khrys Anjos

https://minhamontanharussadeemocoes.blogspot.com.br/2017/01/resenha-lenda-urbana-2-dons-glaucia.html

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017


Para sempre

Autor(a): Glaucia Santos
Editora: Baraúna
Páginas: 323
Resenha por: Larissa
Nota: 4/5
*Livro cedido pela autora para resenha




Sinopse: Elizabeth e Justin se conheceram quando crianças. Foram melhores amigos e juntos descobriram o significado do amor e da paixão. Após um afastamento de dez anos, eles se reencontram e podem então viver esses sentimentos tão irresistíveis, lutando contra dificuldades, dramas e conflitos familiares. Mas a vida não é feita apenas de lutas; e com muita fé eles descobrem que o verdadeiro amor é capaz de transpor todos os obstáculos, valorizando cada pequeno gesto e momento, e que tudo vale a pena quando se tem a capacidade de amar e perdoar.

Resenha: Justin Stone e Elizabeth Marbrook se conheceram quando ambos tinham cinco anos, no momento em que Justin encontrou uma Elizabeth chorando na frente da nova casa dela. Ao questionar a garota sobre o porquê dela estar chorando, Lizzy disse estar com fome, então Justin a levou para jantar com ele naquela noite.

"Justin me salvou de todas as formas que uma pessoa pode ser salva."

Desde esse dia, as duas crianças não se desgrudaram mais. Iam e voltavam da escola juntos, e depois ficavam na casa de Justin brincando, pois Lizzy fazia de tudo para não ficar em casa sozinha com seu pai bêbado e evitar de ver sua mãe apanhar dia e noite.

Os pais de Justin sempre trataram Elizabeth como uma filha, até o dia em que, com seus doze anos, Lizzy e Justin foram pegos se beijando. Depois desse dia, a vida dos dois nunca mais foi a mesma. Eles continuavam se vendo e sempre juntos, é claro, mas nunca sozinhos. Sempre alguém estava vigiando-os.

Como se isso tudo já não fosse ruim o bastante para os dois, os pais de Justin, os Stones, resolveram se mudar, pois o Sr. Stone não queria que o namorico dos dois adolescentes atrapalhasse o futuro que ele planejava para Justin.

"Doía tanto dizer adeus. Acho que foi a coisa mais difícil que já fiz na minha vida."

Lizzy ficou por meses ansiosa, esperando cartas de Justin, cartas estas que nunca chegaram. Então com o tempo eles acabam perdendo o contato. Lizzy e sua mãe acabaram fugindo de seu pai, por causa de coisas terríveis, e até então não sabemos do paradeiro de Justin, até que um dia, depois de exatos dez anos sem se ver...

O livro é narrado intercalando o passado e o presente. Justin, no atual momento, está com sérios problemas de saúde e Lizzy está cuidando dele, enquanto lembra e lê para Justin todo o passado dos dois, e é através dessas lembranças e leituras que ficamos sabendo tudo o que os dois passaram até o atual momento. Senti uma semelhança com o livro "Diário de uma paixão", mas não posso afirmar nada, pois faz tempo que li a obra e não lembro quase nada.

O final é um final óbvio, necessário e verdadeiro (digo verdadeiro porque não é aquele final "e viveram felizes para sempre"), mas ainda assim é triste, pois passei o livro inteiro com esperanças de que fosse diferente, de que isso não acontecesse, mas aconteceu...

"Sei que o nosso tempo está acabando. Mesmo assim continuo acreditando em um milagre."

Assim como o outro livro da autora já resenhado aqui, "Vento no litoral", você pode pensar que "Para sempre" é apenas mais romancezinho bobo e sem graça, mas não é, pode acreditar. Talvez até seja, mas a Glaucia tem uma escrita e uma criatividade que nos leva para outro lugar, fazendo-nos pensar nesses romances como livros diferentes, entendem? Não sei explicar, só lendo para vocês me entenderem. A forma como ela descreve os personagens, as cenas, os lugares, é tudo tão diferente... Simplesmente leiam todos os livros dessa mulher, gente! Ela é a versão feminina do Nicholas Sparks, juro!

"Você tem que amar, perdoar e ser perdoado quando ainda há vida. E o mais importante: não deixar o orgulho, o ressentimento e as crises familiares impedirem de fazer isso. Um dia, seus pais e irmãos não estarão mais lá e o arrependimento vai lhe acompanhar pelo resto da vida."

Título: Nos braços de um anjo

Autora: Glaucia Santos

Ano: 2016

Páginas: 160


Editora: publicação independente





Sinopse: Após um trágico acidente, Carolina fica em coma e descobre que perdeu a mãe.

Em seu pior estado depressivo, ela é resgatada por Kaléo, um anjo, pois em diversos momentos sente que ele a conforta lhe dando uma paz que está longe de voltar a ter.
Porém, o que ela não sabe é que ele a impede de dar fim a própria vida.
Com o tempo, Kaléo se dá conta que seu sentimento por Carolina é muito mais do que compaixão, mas existem regras inquebráveis que podem colocar tudo a perder
Ele abriria mão da eternidade por um amor humano?
E ela, seria capaz de voltar a acreditar no amor?
Uma jornada emocionante onde o amor é a chave para a superação.





*** 




Kaléo é um anjo da morte. Ele ajuda as almas no momento do desencarne e as acompanha durante a passagem para o outro plano.

Esta categoria de anjo foi criada sem sensibilidade. Não possuem nenhum tipo de sentimento, não sentem cheiro nem podem tocar os humanos.

Ao realizar mais uma missão de acompanhamento de alma eis que acontece o inimaginável com o anjo da morte: ele se conecta com uma humana.

Quando seus olhos pousam naquela menina ferida suas almas ficam irremediavelmente ligadas. A partir daquele momento Kaléo passa por uma transformação profunda. Ele começa a sentir. Seu coração se enche de amor.

No começo ele tenta fugir acreditando que ao se afastar da Carolina deixará de sentir o que ele não sabe explicar. Mas Kaléo descobre que o amor é a coisa mais forte que rege a vida humana.

Quando ele nasce é uma pequena chama que vai se intensificando e expandindo até explodir por todos os poros fazendo uma avalanche vulcânica correr nas veias.

Sua necessidade de proteger a Carolina é tão vital que acaba transgredindo várias regras angelicais.

Carolina se deixa levar pela depressão ao se ver sozinha no mundo. Seu pai a deixou quando era criança e com o falecimento da sua mãe não tinha mais motivo para continuar a viver. Passou a implorar a Deus que a levasse para junto dos pais.

Cada vez que ela fazia este pedido era a alma do Kaléo que sangrava de dor. O medo de que ela cometesse o suicídio fez com que ele tomasse uma atitude drástica.

Com o passar do tempo e a ajuda espiritual do Kaléo, Carolina foi aos poucos conseguindo lidar melhor com a dor da perda. Mesmo que em alguns momentos ainda caísse nas teias amargas da depressão.

Quando o sentimento se tornou insuportável para ser sentido apenas por ele, Kaléo faz sua escolha e se torna humano para poder oferecer este amor a sua amada.

Carolina tem uma sensação de déjà vu ao conhecê-lo. Sua presença era tranquilizante nos momentos de dor e podia sentir uma deliciosa fragrância.

A convivência diária fez com que ela finalmente permitisse que seu coração e sua alma fossem curados.

E a eternidade se tornou um tempo curto para este casal especial vivenciar este sublime sentimento.

Esta trama teve como inspiração a história que para mim é a mais emocionante que já foi produzida: Cidade dos Anjos. Não pelo romance, mas por ensinar o que é o amor incondicional. O fato de deixar o outro ir. De não haver arrependimento na escolha.

A Glaucia pegou esta essência e lhe deu uma fragrância nova. Mostrou que não está presa num único gênero literário. Quem já leu suas outras histórias sabe que ela escreve cenas hots de forma a enaltecer a trama e não a tornar vulgar. Ela as descreve de uma maneira que nos faz sentir todas as emoções quentes dos personagens sem nos fazer ficar com vergonha.

E nesta história do Kaléo e da Carolina não houve a necessidade de ter as cenas descritivas. Lógico que eles tiveram relações, afinal estavam num envolvimento total. Só que foram tão sublimes quanto o sentimento que os unia.

É o tipo de história que chamo de Sessão da tarde: toda a família pode assistir (sem precisar de censura) e que não nos cansamos de apertar o replay.

O final é surpreendente. Além de ter uma revelação fantástica do motivo que levou o Kaléo a ser diferente dos demais anjos da morte. Vocês terão que ler o livro para descobrir de quem ele é filho.

O tema principal da história é a doença mais devastadora enfrentada pelo ser humano: a depressão. Ela é silenciosa e arrasta o doente para uma verdadeira montanha russa de emoções. A maioria dos suicidas comete este ato por estarem no grau mais elevado da doença e no início da manhã, pois não suporta ter que se deparar com um novo dia onde a sua dor irá se repetir. Se não receber ajuda de um encarnado ou de um anjo desencarnado dificilmente escapará de atentar contra a própria vida.

Por isto deixo aqui este alerta: preste mais atenção nas pessoas que convivem com você. Nem sempre aquela que lhe sorri está realmente feliz. Ela pode apenas estar mascarando a doença e precisando de uma mão amiga para lhe puxar para fora da areia movediça na qual está afundando conforme a depressão vai se agravando.



Um leve bater de asas *O:-) anjinho  *O:-) anjinho  para todos!!!!

Khrys Anjos


https://minhamontanharussadeemocoes.blogspot.com.br/2016/12/resenha-nos-bracos-de-um-anjo-glaucia.html

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Resenha: Vento no litoral - Glaucia Santos

Vento no litoral

Autor(a): Glaucia Santos
Editora: Independente
Páginas: 379
Resenha por: Larissa
Nota: 4/5





Sinopse: Emmy perdeu o namorado em um acidente de carro e viu sua vida devastada pelo trauma. Quando menos espera, o irmão gêmeo deste aparece, causando uma confusão em seu coração. É amor à primeira vista, mas o fantasma de James está entre eles, dificultando a relação. Ela não sabe até que ponto seu amor por ele é real ou se é apenas uma substituição para o namorado falecido.

Jacob foi abandonado pela mãe ainda menino e durante toda a vida teve rancor da mãe e do irmão. Após a morte prematura de James, resolve ir em busca de respostas. Sua alma amargurada é arrebatada por uma jovem frágil e atormentada pelo trauma. Ele não sabe até que ponto o amor de Emmy por ele é real, e se sente como um substituto. Quando as coisas estão complicadas e a relação parece não ter futuro, o destino o leva para longe. Será que eles conseguirão enfrentar os obstáculos para viver esse lindo amor?

Resenha: Sabe aquele livro que você começa a ler do nada, apenas porque a capa te chamou a atenção, e no fim você pensa que foi algo do destino esse livro ter ido parar nas suas mãos? Então, foi exatamente assim que me senti ao terminar de ler "Vento no litoral".

Emmy era uma jovem de dezessete anos quando perdeu seu namorado de dezenove em um acidente de carro.

Depois de dois meses da perda, Emmy ainda está se recuperando, então algo inesperado acontece: uma cópia do seu falecido namorado, James, aparece em sua frente. Emmy desmaia na hora, por achar que está vendo um fantasma, e quando acorda, o jovem se apresenta como Jacob, o irmão gêmeo de James.

Logo na hora os dois ficam apaixonados e começam a passar os dias sempre juntos, dando a desculpa de estarem falando sobre James, quando na verdade estão namorando.

"Jacob era o remédio que eu precisava para espantar todo o sofrimento e voltar a viver."

Mas nem tudo são flores e, como sempre o destino tem que brincar com a gente, Jacob é da marinha e depois de algumas semanas terá que voltar para o seu trabalho no mar.

"De uma coisa tenho certeza, você não cruzou o meu caminho por nada e, se estiver escrito no nosso destino, um dia voltaremos a nos encontrar e seremos felizes juntos..."

Pode ser um pouco estranho isso de a mocinha acabar de perder o namorado e já estar ficando com outro, principalmente se tratando do irmão do falecido namorado, mas com o decorrer da estória a gente percebe (pelo menos eu percebi) que estava na hora de James partir para que assim Jacob, um cara muito mais maduro e carinhoso, entrar na vida de Emmy.

Como eu disse para a autora, achei que fosse só mais um romance daqueles com final feliz, em que tudo fica bem. E é? Bom, talvez sim, talvez não, vocês terão que ler para descobrir. Mas, sendo final triste ou feliz, o que me fez gostar muito do livro foi o desenrolar da estória, o rumo que ela tomou, o que foi estranho, pois sou daquelas que na maioria das vezes gosta ou deixa de gostar de um livro pelo final.

Enfim, é uma estória incrivelmente apaixonante. Se você está saturado(a) de romances "mais do mesmo" e quer ler algo diferente, eu indico demais essa leitura. Não sei vocês, mas eu não tinha lido nada parecido, foi incrível. Ah, e além disso, o livro me trouxe algumas lições, assuntos que eu nunca tinha parado para pensar, e me fez ver que Deus faz o que é melhor para nós, e que ele tem um plano para todos.

"Posso te garantir que sem sofrimento e tropeços não existe amadurecimento verdadeiro."

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Caros leitores,

Quem me conhece sabe que sou uma leitora muito eclética e que tenho alguns gêneros que gosto muito de ler, mas de vez em quando algum sempre me fisga como são os livros da série abaixo, que no momento contará com três livros. Mas já foram publicados nas duas versões (impressa e digital).

LENDA URBANA: O JOGO
GLAUCIA SANTOS
Publicação independente


Quem nunca realizou jogos que mexiam com o sobrenatural quando adolescentes? Quando um grupo de amigos resolve se divertir, acaba descobrindo que nem sempre esses jogos são apenas brincadeiras inocentes e que no final o preço a ser pago é extremamente alto... Anos depois, fatos estranhos ocorrem, trazendo de volta o terror daquela noite. Patrícia sabe que não são coincidências e busca desesperadamente por respostas que podem salvar a sua vida e dos seus amigos. Ao seu lado está Leonardo, mas ela não sabe até que ponto pode confiar nele e quais são suas verdadeiras intenções. Com o coração completamente fechado e amargurado, sua única certeza é que o jogo ainda não acabou e que o mal está mais próximo do que todos imaginam.





Dia 20 de outubro deste ano, estreia o filme OUIJA: A origem do mal e me fez lembrar muito desse romance sobrenatural da autora Glaucia Santos, que é conhecida pela delicada sensibilidade com que retrata lindas histórias de amor. Em Lenda Urbana conheceremos uma nova faceta da autora, tão instigante e maravilhosa quanto aquela apresentada em seus romances contemporâneos românticos — Para SempreLuz da minha Vida e Vento no Litoral. 

Sempre fui meio receosa em relação a alguns fatos sobrenaturais e paranormais, que vão além da nossa imaginação, principalmente aqueles sobre as famosas lendas urbanas que ouvi muito na minha adolescência e que sempre despertou em mim a curiosidade diante do desconhecido. 

Porém, quando li este livro, não estava preparada emocionalmente para o que iria encontrar em suas páginas e... fui surpreendida, mais uma vez. Isso só reforçou a minha admiração pelo trabalho da autora, porque ela demonstrou, com seu dom nato, o quanto foi talentosa e perceptiva nesse novo gênero pelo qual está incursionando. Sua capacidade de emocionar, independente do gênero que for, continua imutável. 

Foi inevitável ficar apreensiva com a leitura; porém, a cada capítulo, a curiosidade sobrepujou o meu temor e me vi cada vez mais envolvida numa trama fascinante, que vai repelir como também despertar um torvelinho de emoções, inclusive o instinto investigativo e de proteção no leitor. 

Arregalei os olhos e senti uma sensação de frio ao redor do corpo. Era como se um ar gelado entrasse pela janela aberta e nos envolvesse. Meus pelos se eriçaram instantaneamente.

O copo formou a frase A-J-U-D-A e depois V-I-N-G-A-N-Ç-A tão rapidamente, que quase não foi possível acompanhar. Tudo ficou mais frio e senti meu corpo se petrificar diante da atmosfera aterrorizante que nos envolvia. Meus olhos ficaram vidrados no copo. Pela primeira, vez senti medo do sobrenatural.

— Meu Deus, não! Não!
— O quê? — Roberta estava tão apavorada, que gritou de maneira estridente, quase furando meus tímpanos.
— Ele está morto... — Leo respondeu sem forças.

Além de me divertir com o romance e o humor negro da história, entremeada de suspense policial, terror, investigação (durante a história somos cercados por vários assassinatos que ocorrem na cidade desde que teve a brincadeira do copo e que reforçou ainda mais as conspirações acerca das famosas lendas urbanas), vilões vingativos (de todos os tipos e que vocês menos esperam) e altamente perigosos (será? Precisam ler para crer!), não tem como não se encantar pelos personagens principais (e secundários), que me conquistaram à primeira vista, pela química que emanam desde que se reencontram, por suas qualidades e imperfeições e, claro, pelas implicâncias, tiradas sarcásticas e hilárias do mocinho. 

Identifiquei-me muito com a Patrícia pela sua generosidade, inteligência, responsabilidade e seriedade. Reservada e solitária, é uma mulher que desconhece a aura linda que emana e que conquista a todos, mas, por causa das suas neuroses, vive na defensiva para se proteger e acaba não vivendo plenamente por não confiar. Quem será que vai derrubar as suas muralhas e alcançar o seu coração?
Com ele vivi todas as fases em um só dia: desde aquela sensação de borboletas no estômago, a expectativa do primeiro beijo, o fogo queimando todo meu corpo, a decepção de ouvir a verdade e até o sofrimento com o término do relacionamento. Tudo com Leo era oito ou oitenta. Por que não poderia ser normal?

Já o Leonardo é aquele Don Juan, convencido e arrogante, que me conquistou por sua espontaneidade e pelo seu jeito extrovertido e misterioso de ser. Além de ser irreverente com seus diálogos irônicos e pra lá de divertidos, ele ainda é sexy e desperta o melhor e o pior do leitor por ser avesso a relacionamentos. Porém, nos vemos rendidas aos seus encantos.

— O dia que ela conhecer o amor da vida dela, ele não desistirá dela. Será tão insistente, que a vencerá pelo cansaço.

Este livro me fez viajar no tempo, trazendo muitas referências (livros, filmes, histórias surreais de lendas urbanas. Foi nostalgia pura!) que fizeram parte da minha adolescência. O enredo trouxe reflexões sobre o desconhecido, como também sobre amizade, amor, companheirismo, família e o poder inabalável da fé. 

A autora soube dosar suspense, drama, romance e sensualidade em uma trama arrebatadoramente envolvente e, claro, assustadora que vai arrepiar até os leitores mais céticos. 

Venha se aventurar com Lenda Urbana, um livro para quem tem a mente aberta e uma dose extra de coragem.

A capa refletiu a essência principal da história com os amigos de Patty. A narrativa é em primeira pessoa sob o ponto de vista da protagonista, mas também sob a perspectiva de um personagem coadjuvante, que o leitor vai desvendando aos poucos ao longo da trama. 

O desfecho me deixou de cabelos em pé e achei genial! Para saber o que acontecerá, só lendo o segundo volume da série. 

 



LENDA URBANA: DONS
GLAUCIA SANTOS
Publicação independente

Após uma sequência de eventos onde perde os amigos, Patrícia tenta reconstruir sua vida ao lado de Leo, ainda sob o peso do luto. Contudo, o que era para ser o recomeço, vira o início do seu inferno particular. O espírito continua jogando com eles e usando o que é mais precioso: sua família. Ela acha que não pode piorar, mas começa a ver coisas e acredita que está enlouquecendo. Agora entra em uma corrida contra o tempo para descobrir o motivo da vingança de Victor e não sabe quando o jogo finalmente acabará.

Quanto a sequência, a narrativa continua em primeira pessoa sob a perspectiva da Patrícia. Como seu antecessor, superou as minhas expectativas porque, além de trazer mais informações sobre o desconhecido, está repleto de mistério, pois o leitor se vê intrigado acerca do passado do Victor e fica receoso pelo destino dos personagens.

Ainda não posso me esquecer dos detalhes, tenho pesadelos e todas as vezes que ela está perto posso sentir a presença dele. Eu finjo, sempre finjo que nada está acontecendo, mas quer a verdade? A que nunca admiti na frente dela? Estou morrendo de medo.

O romance entre os protagonistas está na corda bamba devido aos conflitos amorosos e familiares que coloca seus princípios, sonhos e planos em xeque.

— Ela tem medo que você saiba que ela e o policial andam conversando. Victor me contou... — sussurrou. — Ele sabe de tudo. O Marcus liga sempre para ela, sabia? Eles estão sempre de segredinho. — A voz mudou no mesmo instante. — Ela te conta as coisas? Conta que estão juntos nessa? Claro que não! Você vai procurar saber ou será corno manso, Leonardo.

Naquele momento eu quis fugir e nunca mais voltar. Meu mundo estava desabando e Leo estava me deixando sozinha no meio do terremoto. Foi muita coisa para uma só pessoa. Sentei no vaso e chorei até não aguentar mais. As palavras dele me machucaram muito. Maldita hora que fui confiar em alguém e me apaixonar.

Como se não bastasse tudo isso, surgirão muitas questões pendentes referentes ao passado que culminarão em reviravoltas que aguçarão ainda mais a curiosidade do leitor em uma trama arrebatadoramente envolvente e, claro, assustadora!

Os "vilões" estão mais perigosos e irônicos, o que torna o humor negro ainda mais evidente.

— Só estava animando o dia de vocês. Victor queria dar um bom-dia em grande estilo. Um, dois, eu vou te pegar. Três, quatro, não adianta se trancar. Cinco, seis, eu vou me vingar. — Soltou uma gargalhada assustadora. — Não adianta fazer nada, porque para me machucar vocês terão que machucar a garota. Eu vou acabar com vocês todos os dias. Vou minar as forças, a esperança e a capacidade de lutar. Quando não aguentarem mais, vocês vão tirar a própria vida e serão condenados, como eu fui e eu passarei o resto da minha eternidade fazendo de cada segundo o pior de suas vidas.

— Eu nunca vou perdoar e deixar vocês em paz. Você me matou e vai pagar nessa e na outra vida. 
 
No decorrer da trama muitas verdades ocultas vêm à tona com os sentidos aflorados de Patty em meio a uma dose extra de coragem, astúcia e cautela com a ajuda de Leo e um investigador muito peculiar.

Pelo visto, isso só está começando. Ansiosa pelo terceiro volume, porque, mais uma vez, o desfecho me deixou desesperada e querendo mais...

  
QUEM QUISER ADQUIRIR OS LIVROS, 
ELE ESTÁ À VENDA EM FORMATO IMPRESSO (direto com a autora e autografado) e DIGITAL (Amazon):

https://www.amazon.com.br/dp/B00YR1X93S
https://www.amazon.com.br/dp/B01LX4Y7VL