quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Toda Sua - Sylvia Day

Toda Sua 
Sylvia Day





Toda Sua é mais um livro que chega ao mercado editorial brasileiro para causar polêmica, investindo na sensualidade e no erotismo. O livro é intenso, bem escrito e com cenas sensuais e bem descritivas. A editora colocou o vocabulário escrachado, não poupando o leitor de palavrões e termos vulgares. As personagens falam palavrões normalmente, sem o menor pudor. Isso deu uma identidade ao livro e só o deixou ainda mais delicioso. Acho que se a editora tentasse substituir algumas palavras, o livro perderia parte do seu charme.



Eva Tramell é uma jovem de 24 anos, que começa em um novo emprego, após se mudar para Nova York. Ela é uma socialite, de família abastada e poderia viver bem como uma “Patricinha” fresca, sem se preocupar em ocupar o seu tempo com coisas úteis. Contudo, Eva quer ter sua independência e é tentando buscar isso, que começa a trabalhar em uma agência de publicidade que fica no prédio da CrossFire.

Antes de iniciar no novo emprego, Eva decide caminhar até o local para conhecer o trajeto e o tempo de sua casa ao prédio. Lá, ela tem o seu primeiro encontro com um homem lindo, sensual que exala sexo só de se observar. Em seus primeiros contatos, ela quase sobe pelas paredes e há uma tensão sexual entre eles. No seu primeiro dia de trabalho, Eva e o estranho se encontram algumas vezes no elevador e novamente a tensão sexual permanece, excitando-a de forma intensa.

As coisas começam a caminhar bem e para o seu maior espanto, a primeira conta que o seu chefe, Mark, recebe é a do homem que não lhe sai de sua cabeça. Ela tenta de toda forma conter o constrangimento e o desejo que sente por ele, contudo, esse homem tenta intimidá-la e na primeira interação dos dois, deixando claro as suas intenções:     "Quero comer você!"

Eva se sente indignada, mas no seu interior aquela revelação a deixa ainda mais excitada e necessitada daquele homem. A coisa fica ainda mais tentadora com suas insistentes investidas. Ela tenta deixar claro que não é um “orifício pré-aprovado para foder” (Desculpe o termo, mas o livro o usa o tempo inteiro). Porém, o irresistível deus grego não se da por vencido e continua o ataque, querendo “comer” Eva de qualquer jeito.

Gideon Cross é do tipo de homem forte, milionário, decidido, arrogante e sem papas na língua. Ele não mede palavras quando quer levar uma mulher para cama. Não há delicadeza, conquista e sedução em seu avanço. Para ele é preto no branco, “quero te comer e pronto”. Sua personalidade ousada e abusada chega a ser ultrajante, apesar que qualquer mulher se derreteria em seus braços. Mas sua forma de conquista é um tanto quanto esdrúxula. Ele fez questão de deixar claro que só quer saber de fuck fuck e mais nada. Sexo é sexo, amizade é amizade e Gideon não mistura os dois. Depois que fode tudo o que quer, vai embora e parte para outra... Como a fila anda com esse homem!

Eva acaba não resistindo a Gideon e quando ele avança mais um pouco... E como avança! Ele apalpa, chupa, faz sexo oral, brinca com os dedinhos mágicos e deixa Eva... Subindo pelas paredes... Ai, eu também fiquei, diga-se de passagem. Rsrsrs  Quem brinca com fogo quer o quê? Pois é... Eva já estava se jogando pelas paredes, quase gritando “ME FODE” e parte para o ataque... Leitor fica como? Subindo pelas paredes, né!! E a partir daí começam cenas mais hot ou seria fodelança?

Bem, a partir daí, o livro é puro sexo, sexo e mais sexo. Tudo que fazem, falam, comem e a forma que olham atiça o lado sexual. Nunca vi transar tanto. Olha, esses dois parecem coelhos. Tô para ver. Gideon seria perfeito para ser o garoto propaganda do VIAGRA (vigra man) AHHHH! Tô falando sério. O Homem fodefode, mas fode tanto e continua duro. Gente, ele tomou muitas vitaminas. Qual a receita disso meu filho? A mulherada quer saber, porque para um homem comum é quase impossível. Será que supermanaguentaria tanto? Rsrsrs

Existe um aspecto psicológico abordado no livro. Eva foi violentada dos 10 aos 14 anos, faz terapia e guarda um segredo desse trauma. Gideon também tem algo misterioso e sofre de terror noturno... Até dormindo o homem se masturba. Ele só pode ter comigo o espinafre do Popeye... Mas você acha que o aspecto psicológico impede o fuck fuck? AHHH Não! Os dois continuam como coelhos fodendo o tempo todo e quando não estão fazendo, estão “pensando naquilo”. Eva parece bem resolvida e quer mais sexo. Ela se excita até com a respiração dele. A bichinha tem um fogo na periquita que chega  a ser patológico. Ele também não fica atrás, então é a fome com a vontade de comer. Gideon dorme e acorda armado. Se ela respira, ele logo aponta sua arma. Às vezes, a coisa é cansativa e repetitiva, mas apesar disso a leitura fluiu.

A personalidade das personagens muda da água para o vinho no decorrer da leitura. Eva começa a ficar insegura, ciumenta e chorosa demais. Já Gideon, de macho dominador super possessivo, passa a um amante meloso, pegajoso e cheio de "frufru". Isso, eu realmente não entendi, mas gostei do mesmo jeito, porque o fuck fuck continuou até o fim. Até quando brigavam, acabavam no meio de um lesco lesco.

O livro tem outras personagens interessantes. O Amigo de Eva, Cary foi um dos que mais gostei. O cara é lindíssimo, uma super figurinha divertida, cheia de amor para dar - ainda com sua opção sexual indecisa, mas querendo dar – acima de tudo um amigo leal, preocupado, parceiro e super protetor. Gostei muito de Cary durante o livro, apesar de alguns deslizes que deu. Também gostei bastante do chefe de Eva, Mark e o seu companheiro. Eles se mostraram super divertidos, com uma relação amorosa cheia de confiança e respeito. Foi fácil me identificar com o casal. Ah, quase me esqueci do companheiro de Cary, Trey. A relação deles não foi tão estável como a outra, porque Cary ainda não tem sua opção sexual bem resolvida. Então, Trey acabou se ferindo um pouco nessa relação amorosa.

Como todo, o livro quase sempre tem uma rival ou personagem antagonista, Magdalene foi a quase rival de Eva. Ela é super apaixonada por Gideon e fez o possível para irritar a jovem. Apesar disso, Gideon não quis saber de fuck fuck com ela. Mas a mulherzinha chata irritou um pouco durante a leitura.

Durante a leitura, senti muitas sensações e me irritei com muitas coisas. De verdade, eu não gostei de tudo, porque tanto fuck fuck me cansou em alguns capítulos. A coisa ficou um pouco fora da realidade. Também me senti ultrajada e tive muita raiva de Gideon. Se tem uma coisa que será difícil de esquecer será: “Quero te comer”. Isso realmente me deixa com a bile na garganta. Queria esbofetear Gideon (Viagra man). Mas, apesar disso, no fim acabei achando os dois fofos. Para quem me conhece sabe que amo livros fofos e a mudança de personalidade das personagens me cativou bastante. Ela deixou de ser “orifício pré-aprovado para foder” e passou a ser o amor da vida dele. Apesar da relação sufocar um pouco, acabei me rendendo. Simplesmente me derreti... Sou sentimental, então não me julguem. Apesar de parecerem coelhos, acabaram me conquistando e agora quero mais. Necessito da continuação. Simplesmente assim.

Eu gostei muito da capa do livro e da tradução dele, mas não gostei da forma como colocaram os diálogos, entre aspas. Preferia que fosse da forma mais corriqueira. Apesar disso, o trabalho da editora foi muito bom.

Esse é um livro adulto, como disse antes, com um vocabulário escrachado e vulgar. Quem quiser algo mais romântico e sentimental, cheio de censura, vá procurar outro livro. Esse é para quem gosta de um erotismo bem escrito. E está super recomendado. Cinco estrelas para ele.

Quando penso no viagra man Canavarro é a imagem que vejo.

2 comentários:

Ahtange Ferreira disse...

Olá parceira, parabéns seu cantinho está lindíssimo.
Bjinhos!

Daniela ♥ disse...

Glau eu quando li a sinopse deste livro pensava que seria uma imitaçao rasca de cinquenta sombras ... mas pela sua opinião fiquei super interessada e vou ler xD
Obrigada por ter divulgado a sua opinião pois é mais um dos muitos livros que leio por sua causa xD
beijos grandes minha linda.

Postar um comentário